Videocolposcopia e HPV

O vírus do HPV (papiloma vírus) vem acometendo perto de 17 % dos casais ativos sexualmente. Por se tratar de doença sexualmente transmissível de baixo potencial sintomático, podem passar sem diagnostico permitindo a evolução da doença para estágios mais avançados. Assim o diagnóstico precoce proporciona uma abordagem terapêutica mais eficaz, menos invasiva e menos mutilante.

Diante destes riscos de infecção do vírus do HPV, necessita o médico ginecologista se esmerar no diagnóstico para detecção de fases iniciais da doença. A videocolposcopia, exame com detalhamento da genitália feminina, podendo ser utilizado para exame masculino como a penioscopia. Deste modo descortinam se alterações que podem sugerir lesões causadas pelo HPV.

A videocolposcopia presta se para examinar a vulva, região perianal, vagina e colo uterino com diversos aumentos, sendo estas imagens geradas para um monitor de tv e registradas, gravadas e fotografadas. Tem objetivos de buscar áreas suspeitas para indicar uma biópsia dirigida, com uma acurácia excelente. Através de aplicação de soluções de ácido acéticos, iodo iodetada, as colorações que surgem mapeiam as áreas que devem melhor serem estudadas e biopsiadas com retirada de pequenos fragmentos, que serão encaminhados a estudo histopatológico.

As indicações das videocolposcopia são:

  • Colpocitologia alteradas (coilocitose, binucleação, ascus agus)
  • Persistência de infecções cervicais (colo uterino)
  • Alterações vulvares e perianais
  • Prurido vulvar crônico
  • Úlceras vulvares
  • Áreas hemorrágicas
  • Áreas de descoloração vulvar
  • Áreas de pigmentação
  • Condilomas
  • Citologia sugestiva de HPV, lesão de baixo grau (lbg), lesão de alto grau
  • Controle pós-tratamento de HPV

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Currículo